Índice Santa Maria S. Teresinha S.Francisco Assis S. Expedito S. António S. Onofre Salmos

SANTO ANTÓNIO

"Ó meu Senhor Jesus, eu estou pronto a seguir-te mesmo no cárcere,
mesmo até a morte, a imolar a minha vida por teu amor,
porque sacrificaste a tua vida por nós."

História (resumo)

Protector dos pobres, o auxílio na busca de objectos ou pessoas perdidas, o amigo nas causas do coração. Assim é Santo António de Pádua, frei franciscano português, que trocou o conforto de uma abastada família burguesa pela vida religiosa.

Contam os livros que o santo nasceu em Lisboa, em 15 de agosto de 1195, e recebeu no baptismo o nome de Fernando. Ele era o único herdeiro de Martinho, nobre pertencente ao clã dos Bulhões y Taveira de Azevedo. Sua infância foi tranquila, sem maiores emoções, até que resolveu optar pelo hábito. A escolha recaiu sobre a ordem de Santo Agostinho.

Os primeiros oito anos de vida do jovem frei, passados nas cidades de Lisboa e Coimbra, foram dedicados ao estudo. Nesse período, nada escapou a seus olhos:

 

 

desde os tratados teológicos e científicos às Sagradas Escrituras. Sua cultura geral e religiosa era tamanha que alguns dos colegas não hesitavam em chamá-lo de "Arca do Testamento".

Reservado, Fernando preferia a solidão das bibliotecas e dos oratórios às discussões religiosas. Bem, pelo menos até um grupo de franciscanos cruzar seu caminho. O encontro, por acaso, numa das ruas de Coimbra marcou-o para sempre. Eles eram jovens diferentes, que traziam nos olhos um brilho desconhecido. Seguiam para o Marrocos, na África, onde pretendiam pregar a Palavra de Deus e viver entre os sarracenos.

A experiência costumava ser trágica. E daquela vez não foi diferente. Como a maioria dos antecessores, nenhum dos religiosos retornou com vida. Depois de testemunhar a coragem dos jovens frades, Fernando decidiu entrar para a Ordem Franciscana e adoptar o nome de António, numa homenagem à Santo Antão. Disposto a se tornar um mártir, ele partiu para o Marrocos, mas logo após aportar no continente africano, António contraiu uma febre, ficou tão doente que foi obrigado à voltar para a casa. Mais uma vez, os céus lhe reservava novas surpresas. Uma forte tempestade obrigou seu barco a aportar na Sicília, no sul da Itália. Aos poucos, recuperou a saúde e concebeu um novo plano: decidiu participar da assembleia geral da ordem em Assis, em 1221, e deste modo conheceu São Francisco pessoalmente.

É difícil imaginar a emoção de Santo António ao encontrar seu mestre e inspirador, um homem que falava com os bichos e recebeu as chagas do próprio Cristo. Infelizmente, não há registros deste momento tão particular da história do Cristianismo. Sabe-se apenas que os dois santos se aproximaram mais tarde, quando o frei português começou a realizar as primeiras pregações. E que pregações! Santo António era um orador inspirado. Suas pregações eram tão disputadas que chegavam a alterar a rotina das cidades, provocando o fechamento adiantado dos estabelecimento comerciais.

 

 

De pregação em pregação, de povoado em povoado, o santo chegou a Pádua. Lá, converteu um grande número de pessoas com seus actos e suas palavras. Foi para esta cidade que ele pediu que o levassem quando seu estado de saúde piorou, em junho de 1231. Santo António, porém, não resistiu ao esforço e morreu no dia 13, no convento de Santa Maria de Arcella, às portas da cidade que baptizou de "casa espiritual". Tinha apenas 36 anos de idade.

O pedido do religioso foi atendido dias depois, com seu enterro na Igreja de Santa Maria Mãe de Deus. Anos depois, seus restos foram transferidos para a enorme basílica, em Pádua. O processo de canonização de frei António encabeça a lista dos mais rápidos de toda a história. Foi aberto meses depois de sua morte, durante o pontificado de Papa Gregório IX, e durou menos de ano.

 

 

Graças a sua dedicação aos humildes, Santo António foi eleito pelo povo o protector dos pobres. Transformou-se num dos filhos mais amados da Igreja, um porto seguro a qual todos – sem excepção – podem recorrer. Uma das tradições mais antigas em sua homenagem é, justamente, a distribuição de pães aos necessitados e àqueles que desejam protecção em suas casas.

Homem de oração, Santo António se tornou santo porque dedicou toda a sua vida para os mais pobres e para o serviço de Deus.

Diversos fatos marcaram a vida deste santo, mas um em especial era a devoção a Maria. Em sua pregação, em sua vida a figura materna de Maria estava presente. Santo António encontrava em Maria além do conforto a inspiração de vida.

O seu culto, que tem sido ao longo dos séculos objecto de grande devoção popular é difundido por todo o mundo através da missão e miscigenado com outras culturas (nomeadamente Afro-Brasileiras e Indo-Portuguesas).

Santo António torna-se um dos santos de maior devoção de todos os povos e sem dúvida o primeiro português com projecção universal.

De Lisboa ou de Pádua, é por excelência o Santo "milagreiro", "casamenteiro", do "responso" e do Menino Jesus. Padroeiro dos pobres é invocado também para o encontro de objectos perdidos.

Sobre seu túmulo, em Pádua, foi construída a basílica a ele dedicada.

 

Orações a Santo António:

 

Responsórios de Santo António (quatro variáveis)

 

Responsório de Santo António

Se milagres tu procuras.
Pede logo a Santo António.
Fogem dele as desventuras.
Erros males e o demónio.

Torna manso o iroso mar.
Das prisões quebra as correntes.
Bens perdidos faz achar.
E dá saúde aos doentes.

Aflições perigos cedem .
Ante a sua intercessão.
Dons recebem se lhos pedem.
O mancebo e o ancião.

Em qualquer necessidade.
Presta auxílio soberano.
De sua alta caridade.
Vale a voz dos paduanos.

Glória seja dada ao Pai.
E ao Filho nosso bem.
E ao Espírito Santo.
Por séculos sem fim.

Amém.

Responsório de Santo António

Saiba quem busca milagres,
Que os enfermos, sara António:
Afugenta o erro, a morte,
Calamidade e demónio.

Prisões e mares lhe cedem,
saúde e coisas perdidas
são aos mancebos e aos velhos
por ele restituídas.

Necessidades, perigos...
Faz cessar entre os humanos,
Diga-o quem o experimentou,
E mormente os paduanos.

Prisões e mares...
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo.

Prisões e mares...
Rogai por nós, Santo António!
Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

Ó DEUS, nós vos suplicamos,
que alegre à vossa Igreja a solenidade votiva do bem-aventurado António, vosso Confessor e Doutor, para que,
fortalecida sempre com os espirituais auxílios,
mereça gozar os prazeres eternos.
Por JESUS CRISTO, nosso Senhor.

Amém

  

Responsório de Santo António

Se milagres desejais
Contra os males e o demónio
Recorrei a Santo António
E não falhareis jamais.

Pela sua intercessão
Foge a peste, o erro e a morte,
Quem é fraco fica forte
Mesmo o enfermo fica são.

Rompem-se as mais vis prisões,
Recupera-se o perdido,
Cede o mar embravecido,
No maior dos furacões.

Penas mil e humanos ais,
Se moderam, se retiram;
Isto digam os que viram,
Os paduanos e outros mais.

Rogai por nós Santo António,
Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

 

Responsório de Santo António

Se milagres desejais,
Recorrei a Santo António;
Vereis fugir o demónio
E as tentações infernais.

Recupera-se o perdido,
Rompe-se a dura prisão
E no auge do furacão
Cede o mar embravecido.

Todos os males humanos
Se moderam, se retiram,
Digam-no aqueles que o viram,
E digam-no os paduanos.

Recupera-se o perdido...
Pela sua intercessão
Foge a peste, o erro, a morte,
O fraco torna-se forte
E torna-se o enfermo são.

(Repete-se):
Recupera-se o perdido...

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo

(Repete-se):
Recupera-se o perdido...

V: Rogai por nós, bem-aventurado António.
R: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

OREMOS
Ó Deus, nós vos suplicamos, que alegre à Vossa Igreja a solenidade votiva do bem-aventurado António, vosso Confessor e Doutor, para que, fortalecida sempre com os espirituais auxílios, mereça gozar os prazeres eternos.
Por Jesus Cristo, Nosso Senhor.

Amém.

 

Bênção de Santo António

Eis a cruz + do Senhor,
Fugi, inimigos todos!
Venceu o Leão de Judá,
a Raiz de Davi, Aleluia

 

Bênção da saúde

Pelo sinal e poder da Santa Cruz, +
pela intercessão da Virgem Maria,
o Senhor vos abençoe e proteja,
volva seu olhar e tenha compaixão de vós.
Que o Senhor mostre sua face misericordiosa
e vos dê a paz
e vos conceda a almejada saúde.

Pelo sinal da Santa Cruz, +
Jesus que aliviou os sofrimentos,
curou as doenças e libertou os possessos do demónio,
afaste de vós todos os males e enfermidades.

Pelo sinal da Santa Cruz, +
vos abençoe Jesus Cristo com sua Mãe a Virgem Maria.

Amém.

Pai Nosso, Ave Maria, Glória ao Pai

 

Benção de Santo António
(Breve de Santo António)

"Eis aqui a Cruz do Senhor!
Fugi, partes contrárias,
venceu o leão da tribo de Judá
e a Raiz de Davi.
Aleluia, aleluia!
Cristo vence,
Cristo reina,
Cristo manda com império,
Cristo nos defende de todo o mal.
Cristo Rei veio em paz, o Verbo se encarnou e Deus se fez homem".

Rogai por nós, Santo António.
Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

OREMOS: Ó Deus, nós vos suplicamos que a presença de Santo António, vosso confessor e doutor, alegre a vossa Igreja para que, fortalecida sempre com os auxílios espirituais, mereça gozar as alegrias eternas. Por Jesus Cristo.

Amém!

  

Bênção do pão de Santo António

Senhor, Pai Santo, Deus eterno e Todo-Poderoso
abençoai + este pão, pela intercessão de Santo António,
que por sua pregação e exemplo
distribuiu o pão da vossa Palavra aos vossos fiéis.
Este pão recorde aos que o comerem ou distribuírem com devoção,
o pão que vosso Filho multiplicou no deserto para a multidão faminta,
o Pão Eucarístico que nos dais todos os dias no mistério da Eucaristia;
e fazei que este pão nos lembre o compromisso
para com todos os nossos irmãos necessitados de alimento corporal e espiritual.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
pão vivo que desceu do céu, e dá vida e salvação ao mundo,
na unidade do Espírito Santo.

Amém!

 

Para que não falte o Pão

Santo António, amigo dos pobres,
peço-te a graça de nunca faltar pão e alimento em nossa mesa.
Prometo-lhe, por minha vez, olhar sempre para os mais necessitados,
repartindo com eles o pão que nos mandares, através do trabalho honesto.
Ajuda-nos a buscar sempre o Pão vivo que desceu do céu, que é Jesus na Eucaristia.

Amém
 

Oração para achar objectos perdidos

Eu vos saúdo, glorioso Santo António,
fiel protector dos que em vós esperam.
Já que recebestes de Deus o poder especial
de fazer achar os objectos perdidos,
socorrei-me neste momento,
a fim de que, mediante vosso auxílio, eu encontre o objecto que procuro...
Alcançai-me, sobretudo, uma fé viva,
uma esperança firme, uma caridade ardente
e uma docilidade sempre pronta aos desejos de Deus.
Que eu não me detenha apenas nas coisas deste mundo.
Saiba valorizá-las e utilizá-las como algo que nos foi emprestado
e lute sobretudo por aquelas coisas que ladrão nenhum pode nos arrebatar
e nem iremos perder jamais.

Assim seja.

 

Acto de consagração a Santo António

Ó grande e bem-amado Santo António de Pádua!
Vosso amor a Deus e ao próximo,
vosso exemplo de vida cristã,
fizeram de Vós um dos maiores Santos da Igreja.
Eu vos suplico tomar sob vossa protecção valiosa
minhas ocupações, empreendimentos, e toda a minha vida.
Estou persuadido de que nenhum mal poderá atingir-me
enquanto estiver sob vossa protecção.
Protegei-me e defendei-me: sou um pobre pecador.
Recomendai minhas necessidades
e apresentai-vos como meu medianeiro a Jesus, a quem tanto amais.
Por vosso mérito, Ele aumente minha fé e caridade,
console-me nos sofrimentos,
livre-me de todo mal e não me deixe sucumbir na tentação.
Ó Deus poderoso, livrai-me de todo o perigo do corpo e da alma.
Auxiliado continuamente por Vós,
possa viver cristãmente e santamente morrer.

Amém.

 

Oração pelos benfeitores

Ó glorioso Santo António, que estás tão perto do Senhor,
peço-te que intercedas por todos os que me amam
e que me fazem algum bem.
Lembra-te também de todos os que, no passado, se aproximaram de mim
com sua bondade, sua ajuda e seu conforto.
Que o Senhor atenda suas aspirações e desejos,
recompensando abundantemente a generosidade deles
nesta vida e no céu.

Amém.

 

Para alcançar uma graça

Eu te saúdo, pai e protector Santo António!
Intercede por mim junto a Nosso Senhor Jesus Cristo
a fim de que ele me conceda a graça que desejo (mencionar a graça).

Eu te peço, amado Santo António,
pela firme confiança que tenho em Deus a quem serviste fielmente.
Eu te peço pelo amor do menino Jesus que carregastes em teu braço.
Eu te peço por todos os favores que Deus te concedeu neste mundo,
pelos inúmeros prodígios que Ele operou
e continua operando diariamente por tua intercessão.

Amém

 

Oração por uma pessoa enferma

Ó querido Santo António,
que sempre ajudaste os que a ti recorrem com confiança,
peço-te com fervor por uma pessoa doente a quem quero muito.
Suplico-te que obtenhas o dom da sua cura
ou, pelo menos, que sejam aliviados os seus sofrimentos,
e ela tenha a força de oferecê-los a Deus em união com a paixão de Cristo.
Tu, que na tua vida terrena foste amigo dos que sofrem
e te prodigalizaste em favor deles através da caridade e do teu dom dos milagres,
fica a nosso lado com tua protecção,
consola o nosso coração,
e faze que nossos sofrimentos físicos e morais
sejam fonte de merecimento para a vida eterna.

Amém.

 

Oração para pedir um emprego

Santo António, olha compassivo para minha necessidade.
Preciso de trabalho para cumprir o mandamento do Senhor.
Preciso trabalho para o sustento meu e dos meus familiares.
Faze que eu encontre um trabalho digno, honrado e remunerado.
Ajude-me neste momento angustioso, tu que conheceste o valor do trabalho,
o sacrifício da fome, a alegria de ter um lar feliz.

Amém.

  

Oração pela família

Querido Santo António!
Abençoai e protegei a nossa família.
Conservai-a sempre unida no amor.
Assisti-a nas necessidades temporais
e afastai dela todo mal.
Abençoai-nos.
Fazei que nunca nos falte trabalho
como também todas as coisas necessárias
para podermos viver honestamente
e educar bem os filhos.

 

Oração para os namorados

Meu grande amigo Santo António,
tu que és o protector dos namorados,
olha para mim, para a minha vida,
para os meus anseios.
Defende-me dos perigos,
afasta de mim os fracassos,
as desilusões, os desencantos.
Faze que eu seja realista,
confiante, digna e alegre.
Que eu encontre um namorado que me agrade,
seja trabalhador, virtuoso e responsável.
Que eu saiba caminhar para o futuro
e para a vida a dois com as disposições
de quem recebeu de Deus uma vocação sagrada e um dever social.
Que meu namoro seja feliz e meu amor sem medidas.
Que todos os namorados busquem a mútua compreensão,
a comunhão de vida e o crescimento na fé.

Assim seja.

 

Oração a Santo António

Lembrai-vos, glorioso Santo António,
amigo do Menino Jesus, filho querido de Maria Imaculada,
de que nunca se ouviu dizer de alguém que tenha recorrido à vós,
que tenha sido por vós abandonado.
Animado de igual confiança,
venho à vós fiel consolador e amparador dos aflitos.
Gemendo sob o peso dos meus pecados,
me prostro a vossos pés.
Não rejeitais, pois, a minha súplica: (fazer o pedido).

Sendo tão poderoso junto ao Coração de Jesus,
escutai-a favoravelmente e dignai-vos a atendê-la.

Amém.

Rezar um Pai Nosso, uma Ave Maria e um Glória ao Pai.

 

Oração a Santo António em acção de graças

Glorioso taumaturgo Santo António,
pai dos pobres e consolador dos aflitos,
que com tanta solicitude viestes em meu auxílio e assim me consolastes;
eis-me a vossos pés para vos trazer o meu agradecimento.
Aceitai-o junto com a promessa, que vos renovo,
de viver sempre no amor de Jesus e do próximo.
Continuai a me conceder vossa protecção
e obtende-me a graça final de poder entrar um dia no céu
para cantar convosco as divinas misericórdias.

Assim seja.

Tópicos

* A vida de Santo António
* 5 minutos diante de Santo António
* Responsório de Santo António
* Tercena de Santo António
* Simpatias

A VIDA DE SANTO ANTÓNIO


Fernando de Bulhões (verdadeiro nome de Santo António), nasceu em Lisboa em 15 de agosto de 1195, numa família de posses. Aos 15 anos entrou para um convento agostiniano, primeiro em Lisboa e depois em Coimbra, onde provavelmente se ordenou. Em 1220 trocou o nome para António e ingressou na Ordem Franciscana, na esperança de, a exemplo dos mártires, pregar aos sarracenos no Marrocos. Após um ano de catequese nesse país, teve de deixá-lo devido a uma enfermidade e seguiu para a Itália. Indicado professor de teologia pelo próprio são Francisco de Assis, leccionou nas universidades de Bolonha, Toulouse, Montpellier, Puy-en-Velay e Pádua, adquirindo grande renome como orador sacro no sul da França e na Itália. Ficaram célebres os sermões que proferiu em Forli, Provença, Languedoc e Paris. Em todos esses lugares suas prédicas encontravam forte eco popular, pois lhe eram atribuídos feitos prodigiosos, o que contribuía para o crescimento de sua fama de santidade.
A saúde sempre precária levou-o a recolher-se ao convento de Arcella, perto de Pádua, onde escreveu uma série de sermões para domingos e dias santificados, alguns dos quais seriam reunidos e publicados entre 1895 e 1913. Dentro da Ordem Franciscana, António liderou um grupo que se insurgiu contra os abrandamentos introduzidos na regra pelo superior Elias.
Após uma crise de hidropisia (Acúmulo patológico de líquido seroso no tecido celular ou em cavidades do corpo). António morreu a caminho de Pádua em 13 de junho de 1231. Foi canonizado em 13 de maio de 1232 (apenas 11 meses depois de sua morte) pelo papa Gregório IX.
A profundidade dos textos doutrinários de santo António fez com que em 1946 o papa Pio XII o declarasse doutor da igreja. No entanto, o monge franciscano conhecido como santo António de Pádua ou de Lisboa tem sido, ao longo dos séculos, objecto de grande devoção popular.
Sua veneração é muito difundida nos países latinos, principalmente em Portugal e no Brasil. Padroeiro dos pobres e casamenteiro, é invocado também para o encontro de objectos perdidos. Sobre seu túmulo, em Pádua, foi construída a basílica a ele dedicada.


CINCO MINUTOS DIANTE DE SANTO ANTÓNIO



Há quanto tempo te esperava, ó alma devota, pois bem conheço as graças de que necessitas e que queres que eu peça ao Senhor.
Estou disposto a fazer tudo por ti; mas, filho, diz-me uma a uma todas as tuas necessidades, pois desejo ser o intermediário entre tua alma e Deus com o fim de suavizar teus males. Sinto a aflição de teu coração e quero unir-me às tuas amarguras.
Desejas o meu auxílio no teu negócio..., queres a minha protecção para restituir a paz na tua família..., tens desejo de conseguir algum emprego..., queres ajudar alguns pobres..., alguma pessoa necessitada..., desejas que cesse alguma tribulação..., queres a tua saúde ou a de alguém a quem muito estimas? Coragem, que tudo obterás.
Agradam-me, também, as almas sinceras que tomam sobre si as dores alheias, como se fossem próprias. Mas, eu bem vejo como desejas aquela graça que há tanto tempo me pedes.
Tem fé que não tardará a hora em que hás de obtê-la.
Uma coisa, porem, desejo de ti. Quero que sejas mais assíduo ao Santíssimo Sacramento; mais devoto para com a nossa Mãe, Maria Santíssima; quero que propagues a minha devoção e ajudes meus pobres. Oh! Quanto isso me agrada ao coração! Não sei negar nenhuma graça àqueles que socorrem os outros por meu amor, e bem sabes quantos favores são obtidos por esse meio.
Quantos, com viva fé, têm recorrido a mim com o pão dos pobres na mão e são atendidos! Invocam-me para ter êxito feliz em um negócio, para achar um objecto perdido, para obter a saúde de uma pessoa enferma, para conseguir a conversão de alguém afastado de Deus, e eu, por amor dos meus pobres cuja miséria está a meu cargo, obtenho de Deus tudo o que pedem e ainda muito mais.
Temes que eu não faca outro tanto por ti? Não penses nisso porque prezo muito as prerrogativas concedidas por Deus de ser – o santo dos milagres.
Muitos outros, como tu, têm precisado de mim e temem pedir-me, pensando que me importunam.
Leio tudo no fundo do coração e a tudo darei remédio; hei de obter as graças; não temas.
Agora, volta às tuas ocupações e não te esqueças do que te recomendei; vem sempre procurar-me, porque eu te espero; tuas visitas me hão de ser sempre agradáveis, porque amigo afeiçoado como eu não acharás.
Deixo-te no coração sagrado de Jesus e, também, no de Maria e no de São José.
Reze em seguida: 1 Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória ao Pai.


RESPONSÓRIO DE SANTO ANTÓNIO

Se milagres desejais,
Recorrei a Santo António;
Vereis fugir o demónio
E as tentações infernais.
Recupera-se o perdido,
Rompe-se a dura prisão
E no auge do furacão
Cede o mar embravecido.
Todos os males humanos
Se moderam, se retiram,
Digam-no aqueles que o viram,
E digam-no os paduanos.
Repete-se: - Recupera-se o perdido...
Pela sua intercessão
Foge a peste, o erro, a morte,
O fraco torna-se forte
E torna-se o enfermo são.
Repete-se: - Recupera-se o perdido...
Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo
Repete-se: - Recupera-se o perdido...
V: Rogai por nós, bem-aventurado António.
R: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

OREMOS

Ó Deus, nós vos suplicamos, que alegre à Vossa Igreja a solenidade votiva do bem-aventurado António, vosso Confessor e Doutor, para que, fortalecida sempre com os espirituais auxílios, mereça gozar os prazeres eternos. Por Jesus Cristo, Nosso Senhor. Amém.
Com aprovação eclesiástica

TERCENA DE SANTO ANTÓNIO



AS 13 TERÇAS-FEIRAS EM HONRA DE SANTO ANTÓNIO


Em 1617, uma senhora de Bolonha (Itália), cujo casamento não tinha sido até ali abençoado com filhos, ouvindo falar nas numerosas graças obtidas por intercessão do Taumaturgo (termo usado para “aquele que faz milagres”) de Pádua, implorou-lhe que tivesse dó dela e lhe concedesse o intenso desejo do seu coração, que era ter descendência. Uma noite, o Santo apareceu-lhe num misterioso sonho e disse-lhe: “Vai durante nove terças-feiras consecutivas visitar a capela dos Frades Menores e receber a Sagrada Comunhão, e a tua súplica será atendida. Seguiu a senhora fielmente esta direcção e o santo cumpriu a sua promessa. Mas o desejado recém-nascido era aleijado e disforme. Cheia de confiança, a mãe mandou levá-lo ao altar de Santo António, e mal o bébé tocou na ara sagrada, logo se transformou numa linda criança.
Foi este milagre que deu princípio ã devoção das Nove Terças-feiras em honra de Santo António; mais tarde elevou-se o número de terças-feiras para comemorar a data de sua morte.




Súplica
Meu querido Santo António, Santo dos mais carinhosos, o vosso ardente amor de Deus, as vossas sublimes virtudes e grande caridade para com o próximo vos mereceram durante a vida o poder de fazer milagres espantosos. Nada vos era impossível senão deixar de sentir compaixão pelos que necessitavam da vossa eficaz intercessão. A vós recorremos e vos imploramos que nos obtenhais a graça especial que neste momento pedimos. Ó bondoso e santo Taumaturgo, cujo coração estava sempre cheio de simpatia pelos homens, segredai as nossas preces ao Menino Jesus que tanto gostava de repousar nos vossos braços. Uma palavra vossa nos obterá as mercês que pedimos. (Segue-se a meditação do dia competente)

1ª Terça-feira
Oração - Invencível Santo António, mártir pelo desejo, pelo fervor do amor que vos inflamou com o ardente anseio de derramar o vosso sangue por Nosso Senhor Jesus Cristo, invocamos o vosso auxílio para que nos assistais a nós e a todos os agonizantes na hora da nossa morte, e para que obtenhais o eterno descanso para as almas do purgatório. (Pai Nosso, Ave Maria, Glória ao Pai...)

2ª Terça-feira
Oração - Ó Santo António, grande Doutor da Igreja, que ilustrastes a eterna e imutável verdade tanto pela palavra como pelo exemplo, nós vos imploramos que nos conserveis na fé católica, que convertais os que estão fora da nossa Igreja e que extirpeis todos os erros e falsidades. Obtende também que os Governantes e os Magistrados exerçam a justiça com equidade e para o bem do povo.
(Pai Nosso, Ave Maria, Glória ao Pai...)

3ª Terça-feira
Oração - Ó bondoso consolador Santo António! Nunca quem procurou o vosso auxílio deixou de ser atendido. Humildemente vos suplicamos que nos auxilieis, a nós e a todo o mundo, nas calamidades e aflições; preservai-nos da falta de arrependimento, da covardia e do desespero; afastai de nós toda a intolerância e toda a discórdia. ( Pai Nosso, Ave Maria, Glória ao Pai...)

4ª Terça-feira
Oração - Santo António, fervoroso adorador de Nosso Senhor Jesus Cristo, que ateastes em toda a parte o fogo da caridade perante o qual os demónios fugiam, guardai as nossas almas e os nossos corpos, e defendei-os contra as tentações de Satanás, para que ele não tenha o poder de nos molestar em pensamentos, palavras e obras, e afastai de nós todos os vãos receios e imaginações.
(Pai Nosso, Ave Maria, Glória...)

5ª Terça-feira
Oração - Ó maravilhoso pregador Santo António, a cujas poderosas palavras nenhum pecador podia resistir, humildemente vos suplicamos que preserveis os nossos corpos de febres, feridas e doenças infecciosas, e as nossas almas da lepra do pecado. (Pai Nosso, Ave Maria, Glória...)

6ª Terça-feira
Oração - Ó milagroso Taumaturgo Santo António, em quem Deus manifestou o seu poder , livrai-nos de todas as fraquezas e enfermidades para que possamos sempre glorificar Deus Todo Poderoso, sãos de espírito e de corpo, e fortes de alma. (Pai Nosso, Ave Maria, Glória...)

7ª Terça-feira
Oração - Santo António, fiel guia dos viajantes, a quem Deus deu o poder de dominar as tempestades e de acalmar as ondas do mar, preservai-nos a nós e a todos os viajantes dos perigos do mar e da terra, e do naufrágio das nossas almas. (Pai Nosso, Ave Maria, Glória...)

8ª Terça-feira
Oração - Ó valente confessor Santo António, que libertastes das cadeias temporais os corpos dos homens, e das cadeias espirituais as suas almas, libertai os pobres cativos das prisões que não mereceram, e as almas que o pecado escraviza, das trevas dos seus cárceres espirituais, e auxiliai todos os que estão condenados à morte. (Pai Nosso, Ave Maria, Glória...)

9ª Terça-feira
Oração - Ó branca Flor da Pureza, Santo António, que tivestes nos vossos braços virginais Jesus, o Filho de Deus, nós vos suplicamos que nos preserveis a nós, e a todos os que nos pertencem, dos males corporais; auxiliai também os surdos, os mudos, os cegos, os coxos, os disformes, e alcançai para eles a paciência necessária para suportarem as suas aflições. Ajudai também a preservar o corpo místico da Igreja, e fazei com que todas as nações, com os seus governantes e príncipes, se conservem fiéis ao seu chefe.
(Pai Nosso, Ave Maria, Glória...)

10ª Terça-feira
Oração - Fidelíssimo Santo António, que desprezastes os bens deste mundo para poderes obter as riquezas de Cristo, ajudai-nos a nunca desejar nada que nos seja prejudicial, preservai-nos de todas as ambições mundanas e obtende-nos que procuremos sempre a graça, e, se a perdermos, não descansemos até recuperá-la. (Pai Nosso, Ave Maria, Glória...)

11ª Terça-feira
Oração - Santo António, poderoso auxiliar, em quem o amor de Nosso Senhor Jesus Cristo obra tão grandes maravilhas, invocamos o vosso auxílio em todos os perigos, visíveis e invisíveis. Preservai-nos, pela vossa intercessão, dos nossos inimigos, dos raios, das tempestades, do incêndio e da guerra, e livrai-nos fielmente de todos os perigos da alma e do corpo.
(Pai Nosso, Ave Maria, Glória...)

12ª Terça-feira
Oração - Santo António, refúgio universal, nós vos suplicamos que nos socorrais em todas as aflições, na pobreza e na enfermidade; que consoleis as viúvas e os órfãos, e todos aqueles que vos invocam nas suas necessidades.
(Pai Nosso, Ave Maria, Glória...)

13ª Terça-feira
Oração - Ó Glorioso Santo António, honra de Portugal, Apóstolo de todas as nações, manifestai-nos o poder milagroso que tem ganho vitórias tão maravilhosas sobre o erro e a descrença, e acendei nos nossos corações a chama da divina caridade e do amor fraterno, a fim de que, unidos no aprisco verdadeiro do Divino Pastor, possamos glorificar Aquele que, com o Pai e o Espírito Santo, vive e reina eternamente. Amém. (Pai Nosso, Ave Maria, Glória...)